Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

VIE EN ROSE

Desde 1989 a ver a vida em rosa.

31
Ago17

Primeiro banho do ano, sozinha

Ainda desesperados pelas férias que teimam em chegar, na passada terça-feira resolvemos aproveitar o bom tempo, indo até uma piscina de ondas dar o primeiro mergulho do ano. Chegar quase ao fim de Agosto sem ter dado um mergulho é obra, mas mais espantoso que isso foi a situação com a qual nos deparamos lá.

Já prontos a entrar na piscina, e já com o pezinho na água, eis que uma nadadora salvadora vem ter connosco e diz ao noivo que não pode entrar na piscina de calções por razões de higiene e segurança. Ora os calções que ele tinha vestidos eram calções de banho bem acima do joelho, mas que ainda assim não foram aceites! De seguida fomos orientados para uma máquina distribuidora de acessórios e fatos de banho, onde poderíamos adquirir um fato de banho "adequado". É óbvio que não compramos nada, pois achamos as novas regras demasiado estúpidas, o preço dos fatos de banho não era do mais acessível, além de que é preciso gostar de andar de cueca ou boxer de licra! 

Não é preciso dizer que ficamos bastante irritados com a situação que não ficou por aqui! Já mentalizado que não iria por os pés na água, o noivo lá se foi molhando nos chuveiros e esteve um pedaço de tempo sentado perto da piscina à minha beira. Sentimos-nos observados pelos muitos seguranças que andavam por lá, até que em determinada altura veio um e disse que ele não podia estar perto da piscina de calções! Que podia estar em toda a área envolvente, mas que se quisesse estar ao redor da piscina teria de se vestir completamente. O segurança foi bastante simpático, disse que podia parecer ridículo mas que estava ali para impor as novas regras...

Acabei por ir nadar sozinha enquanto ele teve de se contentar com banhos de sol. Apesar de ser a piscina para a qual costumávamos ir, rapidamente decidimos que foi a última vez que pusemos ali os pés, com muita pena nossa!

Nudismo.jpg

Num país que se diz pela liberdade, esta situação fez-nos sentir tudo menos livres!

30
Ago17

Privilegiada

Nas minhas últimas férias em Portugal no mês de Março, o regresso foi um dos mais difíceis para mim. Vim embora com um nó na garganta depois de dizer adeus ao meu companheiro de quatro patas, pois a esperança de o voltar a ver era muito reduzida.

Voltei à rotina do dia a dia, e ao poucos a minha mãe foi-me preparando para o desfecho que eu temia. Entre várias chamadas telefónicas, perguntei-lhe como é que ele andava. Depois de ter reunido a sua coragem a minha mãe disse-me que ele tinha adormecido, para sempre. Instantaneamente as lágrimas encheram os meus olhos. 

Ele já tinha partido há cerca de uma semana quando conseguiram contar-me, pois não sabiam como haviam de me dar a notícia, sabendo o quanto eu amava aquele pequeno. Pequeno que eles também amavam, pois também foi com uma grande mágoa que disseram adeus a este patudo que era parte da família. Ele deixou-nos exactamente uma semana depois de eu me ter despedido dele, o que parece ser coincidência e me faz crer que ele esperou por mim para partir.

A primeira semana após a confirmação foi dura, pois chorei a cada vez que me lembrava dele. Além das lembranças, surgiram os sonhos. Sonhei muitas vezes com ele, e acredito que alguns desses sonhos estão cheios de significado.

Hoje passados cinco meses, a dor já desvaneceu um pouco, porém não sei o que será de mim daqui a uma semana. Voltarei a entrar pelos portões da casa dos meus pais e não o irei encontrar. Dói-me só de imaginar o vazio que vou sentir, e saber que naquele jardim repousa um animal que representava o melhor de mim.

O Ricky faria 16 anos em Setembro, pelo que há 16 anos iniciei uma das mais belas amizades da minha vida. Sinto-me privilegiada por ter partilhado a vida e ter amado um animal desta forma.

DSC00866.JPG

"Os animais dividem connosco o privilégio de terem uma alma."

(Pitágoras)

29
Ago17

France Miniature

No passado mês de Maio, num fim de semana em que o noivo foi a Portugal, aproveitei e fui visitar um parque temático com uns amigos. O parque visitado foi a France Miniature. Situado em Élancourt a cerca de 38 km de Paris, este parque conta com cerca de 5 hectares onde podemos conhecer a França em ponto pequeno. Com 117 réplicas de monumentos e 150 paisagens típicas do país, é difícil não ficarmos encantados!

20170527_150328.jpg

20170527_151053.jpg

20170527_153051.jpg

20170527_150915.jpg

Semelhante ao parque Mini-Europe em Bruxelas que visitei em 2015, confesso que gostei mais do France Miniature. O espaço em si é muito mais agradável, e este possui algumas atracções para miúdos e graúdos (das quais um escorrega com tapetes que eu e a minha amiga Joana resolvemos experimentar!). Facilmente se passa um dia bastante agradável aqui.

Visitar este tipo de parques só da ainda mais vontade de sair por aí e conhecer as maravilhas deste mundo! Algumas já tive oportunidade de conhecer recentemente, como foi o caso da cidade de Tours e o Château de Chambord.

20170527_154007.jpg20170527_153813.jpg

cats.jpg20170527_154604.jpg

20170527_170704.jpg

A França dos pequenitos! :)

19
Ago17

Fim de semana fora

Ainda faltam mais de quinze dias para as nossas férias de verão, e quem espera desespera! Decidimos então passar o fim de semana fora, de forma a quebrar um pouco o ritmo e descomprimir. Partimos esta manhã para duas horas de viagem que nos levarão a conhecer muitos animais e a bela cidade de Tours. Espero voltar mais motivada para as duas semanas e meia que depois nos esperam!

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Eu disse sim

Coleccionando lugares

Paris sera toujours Paris

Leitura

Memórias