Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

VIE EN ROSE

Desde 1989 a ver a vida em rosa.

16
Nov15

Imagine

Mais uma vez a França foi alvo de um atentado. Mais uma vez vidas inocentes foram levadas. Mais uma vez o medo se instala.

No dia sete de Janeiro acordei sobressaltada com a notícia dos atentados no Charlie Hebdo, que se seguiram com a fuga dos terroristas e por fim um desfecho fatal no Hyper Casher.

Esse período foi um pouco difícil de viver, em que sair à rua e estar num simples centro comercial me deixavam um pouco desconfortável. Entretanto viajei até Portugal e esses sentimentos de medo e desconfiança desvaneceram...

Na passada sexta-feira, treze de Novembro, enquanto tomava café com os meus amigos portugueses aqui em França, olhei para a televisão e vi a primeira notícia a anunciar um tiroteio em Paris com oito mortos. A partir daí os acontecimentos foram evoluindo, para pior. As notícias começaram a tornar-se cada vez mais alarmantes. Kamikazes, reféns numa sala de concertos, e o número de mortos não parava de aumentar...

No sábado e domingo estive a trabalhar, e é óbvio que não se falava de outra coisa. A convicção de que estamos cada vez mais perto de uma terceira guerra mundial era partilhada por todos.

Hoje encontro-me de folga em casa, e caindo na realidade dos acontecimentos, as lágrimas acabaram por cair. Caíram face às notícias, durante o minuto de silêncio e enquanto ouvia o sino da igreja a tocar calmamente, durante um pequeno mas longo momento. Ás lágrimas, juntam-se os arrepios, arrepios estes que me acompanham desde sexta-feira, a cada notícia que leio ou ouço.

Um cenário horrível aconteceu aqui tão perto, na capital do país que me viu nascer e que me acolheu recentemente. É surreal.

Hoje sinto-me vazia. Vazia de esperança e fé. Tenho o mau pressentimento que isto não vai melhorar, pelo contrário. Se ainda há dias partilhava aqui a iniciativa Aylan Kurdi Caravan que me tinha renovado de esperança, na passada sexta-feira senti toda essa esperança ser levada de rompante.

Sempre fui apologista da paz e sempre me senti tocada pelo mal que há no mundo... hoje sinto que ele vai continuar, e quem sabe vencer. 

Já só penso em viver intensamente. A nossa vida é tão efémera e pode ser levada por razões tão incompreensíveis.

No meio disto tudo, não me sai da cabeça a música Imagine do John Lennon, pois sinto que o que nos resta é imaginar...

12208624_10204708834333352_3128209147398411494_n.j

"Imagine there's no countries, it isn't hard to do. Nothing to kill or die for, and no religion too."

(John Lennon)

9 comentários

Comentar post

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Coleccionando lugares

Paris sera toujours Paris

Leitura

Memórias