Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

VIE EN ROSE

Desde 1989 a ver a vida em rosa.

03
Set17

O Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares

Conheci pela primeira vez os Peculiares no trailer do filme que ia estrear no cinema. Despertou-me o interesse por ser mais um filme do Tim Burton, mas foi quando descobri que se tratava de uma trilogia de livros adaptada ao grande ecrã que fiquei ainda mais curiosa!

Encontrei os livros por acaso à venda num hipermercado, e depois de folhear algumas páginas fiquei logo com vontade de descobrir o enredo desta aventura. Uma aventura que leva Jacob a conhecer uma ilha misteriosa onde se encontram as ruínas do lar para crianças peculiares, que o seu avô tanto lhe falou antes de morrer. Ao explorar as ruínas, Jacob descobre bem mais do que uma simples casa abandonada...

Lancei-me no primeiro livro da trilogia escrita por Ransom Riggs, e só parei no terceiro e último! Os Peculiares foram a minha companhia nos últimos tempos, e foram muitas as noites em que adormeci a ler mais uma página, mais um pedaço de magia. Não me lembrava de ler um livro de fantasia, pois leio sempre romances com histórias bem reais. Adorei mergulhar num mundo tão diferente, especial e peculiar.

Quanto à adaptação ao cinema do primeiro livro, confesso que me desiludiu. Adoro Tim Burton, mas além de na nossa imaginação ser tudo muito mais fantástico, fiquei um pouco decepcionada com as alterações que fizeram em determinadas personagens. Para os amantes de leitura como eu, as adaptações ao cinema dificilmente nos encantam!

No final da trilogia tive curiosidade em ler o livro Contos Peculiares (mais um livro de Ransom Riggs), que é nada mais nada menos do que o livro que os próprios Peculiares lêem durante a trama!

 tril.jpg

 

"Tudo em que podia pensar era que avôs deviam morrer em camas, em lugares brancos e tranquilos..."

 

"Em minha visão, quando se trata das coisas realmente importantes da vida não existem acidentes. Tudo acontece por uma razão."

  

"Mas não dá para se sentir mal o tempo todo, quis dizer. Rir não piora as coisas, assim como chorar não as melhora. Não significa que você não se importe ou que tenha esquecido. Só quer dizer que você é humana."

  

"Talvez muitas pessoas passem pela vida sem jamais saber que são peculiares."

 

"Nunca ninguém nos machuca tanto quanto as pessoas que amamos."

 

"Mas agora você está fazendo promessas que talvez não consiga cumprir, e é assim que pessoas apaixonadas se machucam muito."

 

"E me ocorreu, ali parado, só respirando com ela, o silêncio caindo à nossa volta, que aquelas podiam ser as duas palavras mais lindas do mundo. Temos tempo."

 

Estas são algumas das passagens que não resisti em partilhar!

4 comentários

Comentar post

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Eu disse sim

Coleccionando lugares

Paris sera toujours Paris

Leitura

Memórias