Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

VIE EN ROSE

Desde 1989 a ver a vida em rosa.

28
Set16

Ricky & Eu

Tal como o livro e filme Marley & Eu, eu também tenho uma história intitulada de Ricky & Eu na minha vida. Desde que me conheço, foram muitos os animais de estimação que tive, alguns que foram aparecendo por casa, outros nasceram, outros oferecidos. Porém, o Ricky foi o animal de estimação que eu quis ter quando tinha doze anos.

A Fofinha era a cadela de uns vizinhos que passava os seus dias a ladrar e a correr atrás de cada carro que lá passasse. Um dia ela teve dois cachorrinhos, e depois de convencer os meus pais, chegou o dia em que fui escolher aquele que seria o meu companheiro nos anos seguintes. A vizinha, que é tia de uma amiga de infância, pegou nos dois pequenos em cada mão e pediu que escolhesse um. Indecisa, olhei para eles, que eram bastante idênticos, e apontei para aquele que se diferenciava por ter uma pinta branca na ponta do rabo. E assim foi, num bonito dia de sol, uma pinta branca na ponta do rabo uniu-nos para sempre.

A partir do dia em que ele entrou naquela casa, foi uma descoberta mútua, e aos poucos um sentimento de companheirismo foi surgindo. Muitos momentos felizes, mas também momentos em que o coração apertou e continua a apertar por causa deste pequeno de quatro patas. Das vezes que ele esteve doente, em que julguei que ele fosse morrer, ou mais recentemente quando o vejo e constato que ele está a envelhecer. E quando lhe digo até já, sem saber se o voltarei a ver? Parece uma coisa de loucos, falar assim de um animal, da mesma maneira que falaria de uma pessoa que amo. 

Tudo isto, só para dizer que apesar da distância, continuo a pensar muito no meu pequeno que já faz parte da família há quinze anos. Por incrível que pareça, ainda não tinha falado nele aqui, mas estes quinze anos mereciam ser partilhados!

16-09-28-16-57-29-908_deco.jpg

"Ele me ensinou a apreciar coisas simples. E enquanto envelhecia e adoecia, ensinou-me a manter o optimismo diante das adversidades. Principalmente, ele me ensinou sobre a amizade e o altruísmo e, acima de tudo, sobre lealdade incondicional."

(John Grogan em Marley e Eu)

2 comentários

Comentar post

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Coleccionando lugares

Paris sera toujours Paris

Leitura

Memórias